Cordyceps

Cordyceps          Composição:

Pó de micélio fermentado do Cordyceps

Adenosina

Manitol.

Propriedades do produto: Pela observação clínica, os médicos chineses revelaram as propriedades principais do Cordyceps, que possui um largo espectro de actividade. Como tratamento muito eficaz na regulação da imunidade. Possui elevadas propriedades geneticamente adaptáveis: tendo um défice inicial, pode elevar um nível fraco de imunidade ou diminuir o surgimento de uma imunidade elevada, sendo portanto um imunomodulador.

  • O Cordyceps serve de antibiótico natural. Possui influência bacterioestática (impede o crescimento bacteriano) sobre algumas dezenas de bactérias patogénicas, incluindo o pneumococo, o estreptococo e o estafilococo áureo;
  • Possui uma acção anti-inflamatória comparável à acção das hormonas e não lhes deve nada em eficácia. Neste sentido, o Cordyceps até supera a cortisona;
  • Produz uma vasodilatação prolongada e moderada e melhora consideravelmente o abastecimento de sangue ao miocárdio e outros órgãos, prevenindo a trombose (AVCs) e actuando na profilaxia e tratamento de doenças graves como o enfarte do miocárdio, a isquémia, a trombose, a angina de peito, as doenças do fígado, dos rins, dos pulmões, etc.;
  • Possui acção antioxidante;
  • Eleva a estabilidade do organismo (na anóxia), e aumenta a capacidade de trabalho;
  • Diminui o nível de lípidos no sangue, incluindo os do colesterol, faz a regulação do equilíbrio do cálcio e do fósforo no sangue;
  • Retira activamente as substâncias tóxicas do organismo, incluindo as induzidas por fármacos (por exemplo, quimioterapia);
  • Melhora as funções do fígado, dos rins, dos pulmões e do metabolismo em geral;
  • Regula a quantidade de trombócitos no sangue;
  • Tem uma acção anti-cancerígena, melhorando o estado do órgão afectado e estimulando igualmente a actividade dos leucócitos, reduzindo os efeitos secundários da radioterapia;
  • Tem um efeito comprovado como tratamento medicinal complementar.

Recomendações:

  • Doenças do sistema respiratório: bronquite, pneumonia, bronquite asmática, enfisema pulmonar, tuberculose, etc. (Tosse, falta de ar, suores, indisposição causados por fragilidade pulmonar, etc.)
  • Doenças dos rins. O Cordyceps melhora a dinâmica das células dos tecidos renais, reduz e elimina os traumas dos túbulos renais. Elimina as dores nas pernas e o lumbago, previne as intoxicações/infecções e as micções frequentes (glomerulonefrite, pielonefrite, cistite, entre outras).
  • Doenças cardiovasculares. O Cordyceps aumenta de forma prolongada e moderada a corrente sanguínea nos vasos coronários, faz a regulação da proporção entre o cálcio e o fósforo no sangue (esclerose coronária, doença cardíaca, angina de peito, enfarte do miocárdio, risco de trombose). É um produto muito valioso para um tratamento com efeito prolongado das doenças coronárias.
  • Doenças do fígado: hepatite, profilaxia da cirrose hepática, melhora o metabolismo das células do fígado (hepatócitos) através do aumento do aporte de sangue trazendo os nutrientes essenciais, o que pode prevenir a evolução da cirrose.
  • Doenças do sangue: púrpura trombocitopénica, hemorragia das mucosas e, como consequência, a anemia. Em caso de leucemia (cancro do sangue), estabiliza o processo.
  • Neoplasias malignas de vários órgãos, mesmo em estádios avançados: melhora a função dos órgãos afectados, elimina o centro principal dos tumores; por isso, em caso de tumores malignos e especialmente nos tumores benignos do cérebro, o Cordyceps tem um resultado positivo estável. Ajuda à redução do foco cancerígeno das doenças malignas, prolongando o período de funcionamento dos órgãos afectados e melhorando o seu estado geral. O Cordyceps pode incrementar a actividade dos leucócitos. É o produto ideal para um tratamento estável dos doentes com tumores benignos no cérebro.
  • Efeito anti-tóxico. O Cordyceps melhora a dinâmica das células do fígado, dos rins, dos pulmões e de todo o metabolismo orgânico, favorecendo por isso a eliminação de substâncias tóxicas do organismo, incluindo os tóxicos do intestino, os compostos medicinais e os radionuclídeos.
  • Efeito anti-inflamatório geral, profiláctico; a profilaxia impedirá no futuro o desenvolvimento de doenças.

          Precauções: não recomendado a crianças, a grávidas, a mães que amamentam, em período agudo de úlceras e problemas no duodeno.

Como se deve tomar o Cordyceps: em jejum ou entre as refeições, tomar com meio a um copo de água morna, mas a não mais de 50ºC. Durante a 1ª semana: 1 cápsula, 1 a 2 vezes por dia. Depois, tendo em conta o caso individual, pode aumentar-se a dose gradualmente até 2 cápsulas, 2 vezes por dia. A primeira toma deve coincidir com o funcionamento do órgão em causa, a segunda toma, entre as 21 e as 23 horas. O período de toma vai de 7 a 21 dias ou mais, dependendo das particularidades do doente.

       Modo de apresentação: 100 cápsulas de 0,5 g cada